domingo, 25 de setembro de 2011

O velho contador de histórias

Eu estava com Guria na frente do China in Box da Manuel Dias a procura de um táxi. Atravessamos a rua e avistei um senhor, cheio de energia, gesticulando e falando alto como quem tivesse organizando a entrada de um carro num estacionamento. Logo depois ele encostou em um Uno, de faixas azuis e vermelhas.

- Tá livre ai?
- Tá. Pode entrar!

Entramos os dois no banco do fundo. O Velho era grisalho, parecia ter mais de 70 anos. No entanto pela rapidez com que entrou no carro, ligou e saiu andando, parecia um garoto de 15.

- Vamos pra onde?
- Brotas!
- Hahahaha, Brotas de Macaúbas.
- ??? ham?
- Por onde?
- Vira na próxima direita, pega o itaigara, avenida ACM e sobre a redenção.
- Itaigara? Né pior não?
- Não. Por onde é melhor então?
- ACM, e sobe a redenção.
- Então. Foi isso mesmo que eu falei.

Entramos no sentido Itaigara e paramos numa sinaleira. O senhor gozou de uma senhora que tentava atravessar a rua.

- Nessa lerdeza aí, o sinal vai abrir e vou atropelar. Eu sou velho, mas sou durinho.
- Hehehehe.
- É por que eu lido com gado, no interior. Sou fazendeiro.
- A é? Fica em que interior?
- Brotas de Macaúbas. Conhece?
- (tava explicado o Brotas de Macaúbas) Conheço não. Eu sou de Jequié.

O sinal abriu e por sorte a senhora já havia atravessado a rua. O velho não a atropelaria mais. Seguíamos ali na Avenida ACM, pela região do Itaigara.

- Ah! JEQUIÉ. Terra de Aragão. (gritou)
- De quem? (gritei também)
- Aragão!
- (Minha vontade era fazer uma rima, mas respeitei Guria e a idade dele.) Conheço não.
- Do programa de Mário Kertész. Não escuta não?
- Não.
- É um moço que comenta no programa. Rádio Metrópole, Cento e um ponto três.

O trânsito seguia pesado e lento, já quase em frente ao Teresa de Lesieux. Paramos lado a lado com uma Pajero.

- Oh que carrão da porra.
- É, eu acho bonito também.
- Comprei uma Hilux, mês passado.
- Porra. Massa. Carrão também.
- Era um sonho antigo meu. Agora que eu tô com condições, comprei.
- Massa. Para usar na fazenda. É bom mesmo.
- Minha filha que diz que eu estou ficando maluco. Mas era um sonho, e agora to tendo uma boa condição...
- Com certeza.
- Agora eu tô querendo comprar uma retroescavadeira também.
- Porra! Hehehehe.
- Acho que consigo uns 60mil em três meses.
- Wow! Me ensine seu segredo ai, pra eu juntar essa grana também.
- HAHAHAHAHAHA.

Eu pensei, ou esse velho ta cheio do dinheiro mesmo ou ta caducando.

- É a fazenda né? Dá muito dinheiro.
- Não.
- É o táxi então?
- Não.
- É o que então rapaz?
- Empréstimo de dinheiro a juros.
- Ah!
- Empresto dinheiro a 20% de juros.
- Porra, é muito juros...
- É! Por isso ganho muito. Se empresto 8 mil, ganho 13 mil mais ou menos.
- E calote, não toma não?
- Ah! Já tenho todo esquema. Não sou sozinho nisso não. Tenho os sócios, os seguranças...
- Se alguém não pagar, tu apaga né? Hehehehehe.
- Até hoje nunca morreu ninguém não. Mas tenho os seguranças e pessoas que fazem a cobrança.
- Rapaz, que coisa.
- Eu tenho mais de R$100 mil na rua. Rodando. Vou ganhando e vou emprestando... há 20%
- E assim comprou a Hilux...
- Comprei a Hiluz e agora quero comprar a retroescavadeira.

A conversa sobre toda a máfia e esquema dos empréstimos do velho seguiu do final da Cruz da redenção até a porta do meu apartamento. Indiquei onde ele devia parar. A corrida deu R$17,50. Dei uma nota de vinte reais. Ele me voltou uma nota de R$2,00

- Tô sem moeda aqui. Vou ficar devendo cinqüenta centavos.
- Ah! Tudo bem.

Depois que desci do carro eu pensei.
O miserável comprou uma Hilux, quer comprar uma retroescavadeira, tem mais de R$100 mil circulando na rua e não tem cinquenta centavos pra me dar de troco.

13 comentários:

bia santos disse...

"De grão em grão a galinha enche o papo"...

Esse lance de emprestar dinheiro a juros, é uma fria...

"Passear de táxi com você" nas ruas de Salvador é sempre muito emocionante...

Some não...

Ugo B. Mello disse...

Hahaha!! Velho, peguei um táxi sexta-feira e o taxista era vem de vida também. A filha e o filho estudavam em faculdade particular, os dois tinham carro, ele tem um sítio não sei onde... Agora esse disse que era tudo com dinheiro do táxi. Vai saber!! Rsrs...

Paulo Bono disse...

Dinheiro pouco, o cara não tem porra!

Mauricio Trindade disse...

Muito criativa a sua história, certamente se daria bem em um concurso literário ou roteiro para cinema.

Rock in Culture disse...

KKKKKKKKKKKKK esse taxista é o caro me deu otimas ideias

Anna disse...

kkkkkkkkkkkk meu Deus que velhinho pilantra, ótima história, muito bem escrita, parabéns

#JL disse...

mt bom!

http://sem-nozes.blogspot.com/2011/09/ate-que-enfim-tudo-limpo.html

Fernanda disse...

Eita! Máfia dos velhinhos taxistas! Melhor ele ficar lhe devendo 50 cents e não você a ele, pra não acordar com cabeça de cavalo sangrenta ao lado na cama... :-) Beijos e sucesso no blog!

Kamila B. disse...

Eu acho que de tanto troco assim, ele juntou dinheiro pra Hilux. Vacilo do tiozim.
Hohoho'

Muito legal a história. Devia tar ficando caduco mesmo, espertinho ele né?

Abraços
http://suinguken.blogspot.com/

Davi Drummond disse...

gostei da proposta do blog =D

bem bacana essas histórias \o/

to seguindo aqui, segue?

www.foiporquerer.blogspot.com

Larissa Matos disse...

hahaha ri mto com o final! Aconteceu com vc mesmo?
seguindo
http://seriesbooksmovies.blogspot.com

Fernando disse...

Haja troco pra esse cara juntar tanta grana hein kkkkkkkkkkkkkkkkkk
Muito show essa história viu!!

Tαtαh disse...

Muiiito criativaa, e beeim escritaa! parabéns pelo blog *-*

Seguindo vs! Segue de voltaa?!

http://echidellanima.blogspot.com/