domingo, 28 de novembro de 2010

Salvo pelo taxímetro


Já eram 3h da manhã de sábado, e eu já tinha dado virote em outra festa na noite no dia anterior. Não esta me agüentando em pé. Me despedi dos meus amigos e saí da festa para procurar um táxi e voltar pra casa. A festa era na praça Castro Alves (centro da cidade), próximo ao pelourinho. Assim que sai, avistei um Corsa Sedan com as faixas vermelha e azul do outro lado da rua. O motorista estava dentro do carro. Fui atravessando a rua assoviando e acenando pra ele, mas ele não se mexia, tava dormindo. Quando me aproximei bem ele tomou um susto e acordou. Eu encostei no vidro dele.
- E ai velho...
- Oh! Vai pra onde?
- Rapaz, lá em Brotas tu faz quanto?
- Porra, difícil saber. Tu não é acostumado pegar táxi aqui não?
- Dá uns doze reais, né não?
- Ohohoho é mais, é mais...
- Vamos fechar dezesseis.
- Vinte.
- Dezoito...
Fechamos em R$18,00 e seguimos pro destino com o taxímetro desligado. O cara era negro e gordo, tava todo arrumado, calça social, camisa social. Era um tipo Bussunda. Ele subiu a avenida em direção ao pelourinho, praça da sé.
- Eu gosto de tirar um soninho no carro.
- Hehe
- Durmo aqui mesmo. Chego em casa só tomar um banho e já to novo em folha.
- Hum. Dormi bem pra mim, só no meu quarto.
Enquanto conversávamos de leve, eu comecei a perceber um ambiente estranho ao redor. O cara foi adentrando pelo pelourinho, em umas ruas estreitas, uns becos que nunca tinha estado na vida. Pensei, deve ser algum atalho que o cara conhece, pra sair em alguma avenida conhecida. Entra em beco, sai em beco, entra em beco, sai em beco. E ai o ambiente ficou sinistro de verdade, era dark demais. Várias prostitutas e pessoas pelas ruas usando drogas... Submundo mesmo.
- Oh lá aqueles três ali. Tão cheirando crack.
- Hehehehehe. Rapaz, que lugar é esse véi...
- Isso aqui ta abandonado. O prefeito não vê isso.
- Que mané prefeito rapaz. Puta que pariu. Isso aqui é sinistro demais velho.
- Oh lá aquele, comendo a mulher ali no meio da rua... hehehehehe
- Rapaz, esse lugar aqui é punk. Porque que tu veio por aqui maluco?
O medo bateu essa hora. Entre casarões abandonados, usuários de crack e prostitutas fazendo sexo oral ao ar livre a gente ia passando por uma rua muito apertada, que só dava pra passar um carro por vez. Sem contar as encaradas que todos davam pra dentro do táxi. Lá na frente avistei um sujeito sem camisa, de bermuda e descalço andando no meio da rua, vindo ao nosso encontro. Ele começou a gesticular pra a gente diminuir a velocidade. Ai eu gelei. Pensei, mas que merda, que porra que esse cara foi vir por aqui. Agora fudeu mesmo, vamos ser assaltados, to fudido... O gordinho não parou o táxi, mas andávamos a uma velocidade baixa. O cara encostou no vidro dele.
- Arruma um trocado aí maluco.
O motorista miserável, calmamente virou a cabeça e olhou pra mim com uma cara de merda, como se pensasse: É com você, resolva ai...
- hein? Porra negão. To quebrado aqui. To sem nada mesmo.
- Quebrado o que véi. Andando de táxi aí.
- É que to com o dinheiro certo do táxi aqui, serio mesmo poh! Se não arrumava.
- É um real só maluco, pra eu comer uma coisa que to com fome.
- Rapaz, to sem mesmo.
- Podia ta roubando, mas to pedindo.
- Porra cara, é tanto que, acertei com ele o valor antes. Porque só tenho dez reais aqui. Pode ver, até o taxímetro ta desligado.
O sujeito olhou pro taxímetro. Olhou pra mim. Olhou pro motorista. O motorista olhou pra ele. Olhou pra mim. Eu olhei pro taxímetro. Olhei pro sujeito. E fiz a mesma cara de merda que o motorista tinha feito pra mim. O sujeito se afastou do vidro. Ufa!
Saímos dos becos e seguimos em direção a minha casa. A viagem seguiu friamente, como se nada tivesse acontecido.
- Sobe a Vasco da gama ou vai pelo Bonocô?
- Pela Vasco mesmo.
- Pela Vasco é mais rápido mesmo.
Já na estávamos na avenida principal do meu bairro...
- Quando for aí, tu me fala.
- Ta. Pode seguir aí, na próxima esquerda você entra, depois daquele muro branco ali.
- Ta com dinheiro trocado?
- Não. Por quê? To com vinte reais.
- Me da logo aí então, pra já te dar o troco aqui mesmo, antes de entrar na rua. Por que essa rua ai é perigosa a gente ficar parado.
- ESSA RUA É PERIGOSA? Oxe! Ta maluco? Perigoso foi onde a gente passou.
- Eu sei, mas é que a gente não pode dar bobeira em lugar nenhum né?
- Que bobeira rapaz? Tu vem por um caminho escroto da porra, e vem falar que minha rua é perigosa. Toma aí, vinte...
Paguei e ele me deu o troco (R$2,00) antes de entrar na minha rua. Só depois, entrou. E parou na porta do meu prédio.
- Pode encostar aqui.
- Pronto!
- Valeu! Boa noite.
- Boa.
- Vai com cuidado aí.
- Beleza...
Fiz uma especie de exemplo do que seria as ruas que passamos e uma foto que mostra a porta do meu prédio (vista da minha janela). pra comparação. (clique na imagem para ampliar)

43 comentários:

Ugo B. Mello disse...

É, os parâmetros do que é perigoso e do que não é (nesse caso, de onde é e de onde não é) são super relativos, rs.. Motorista muito louco! Se bem que estamos falando de taxistas e de Salvador, ou seja, NORMAL! Rs XD

Mell disse...

Eita!!! É emboscada! Ele conhecia o cara...deve levar todos os "clientes" ali pra serem assaltados! Que merda ó...

Fernanda disse...

Meeeeeee esse taxista tava era de treta com a bandidagem da rua perigosa.... que tipo de bandido sabe que o taxista tem uns trocados e o cliente tbm e não leva? Qualquer um dá um pontapé nos 2 e leva nem que seja R$ 0,50.

Taxista é lobo disfarçado de ovelha isso sim!

tatiana hora disse...

velho..
que tenso isso...
cheguei a achar que o taxista ia mandar vc descer do carro e lhe deixar na rua kkkk

Nah disse...

Kkkkkkkkkkk
É, a tua rua é beeem mais perigosa!
Que aventura, heim?! rsrs

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze disse...

eu não suporto esses mendigos que dizem que é melhor pedir que roubar, se tivessem vergonha na cara estariam trabalhando em qualquer negócio lícito, capinando um terreno, fazendo qualquer coisa... tem uns que vão cercando a vítima como que querendo evitar que passe sem dar o que esteja sendo "pedido"... a uns tempos atrás tinha uns que ficavam no meu bairro, e tinha vezes que umas velhas ficavam meio que escondidas atrás dos portões dos prédios esperando pra passar na frente de algum maluco que intimidasse os vagabundos pra não fazerem mal a elas...

™Deka disse...

Já morei em Salvador, bela descrição das cenas, bem assim mesmo!

Carol Garcia disse...

Pooo Guives! Que barril!! Juro que fiquei tensa enquanto lia a história. E nem precisou das imagens, visualizei toda a rua sinistra do Pelô que não vemos. Adorei teu blog! Passarei sempre.
bjs!

ps: faltou vc escrever a 'crônica' sobre nossa colega que quase foi presa por causa de um taxista !kkkkk

Paulo Bono disse...

Tá ficando cada vez melhor, baixinho.

abraço

Paulo Cheng (Rico) disse...

BICHO, SE ESSA HISTÓRIA FOR VERÍDICA É MUITO ESCROTA. SE TU FOSSE UM ZÉ MANÉ ELE IA TE DEPENAR ALI MESMO.
DA PRÓXIMA VEZ QUANDO TU PEGAR UM TÁXI NA MADRUGA DIZ O PERCURSO QUE TU QUERES.

BOA HISTÓRIA.

Kiko Lemos disse...

andar de táxi pela madruga sempre tem dessas coisas, sorte que ñ aconeceu nada de grave

Mauro Anselmo disse...

Por isso não ando mais de taxi, só de moto hehehehhe

Mauro Anselmo
http://rosilhomaleva.blogspot.com/

Clarice disse...

Devia ter deixado os 20 com ele que valeu pela aventura.Vai dizer que não foi mais forte que filme de terror? ;)
Que loucura! Lembra do filme Fogueira das vaidades? Pois, você se safou de uma boa, porque o mendigo foi até legal, podia ter pedido tua roupa, calçado.
Melhor sorte da próxima, que essa coleção de taxista aí da tua cidade é o seguinte, hein?

medicine.practises disse...

|Assim com uma história dessa prefiro a pé
http://medicinepractises.blogspot.com/

Thábata Thomé disse...

Tenso, hã? Tudo bem, imagino que você deve ter ficado apreensivo e tal. Salvador não deve ser fácil!
Mas imagine que eu passei por umas 3 situações similares aqui no Rio e... Bom, sou mulher! Muito mais pavor tomou conta de mim, haha. Adoro andar de táxi com mais gente, mas sozinha SEMPRE acho que estou entrando no carro do meu sequestrador!

Ieda disse...

Achei que ia acontecer algo contigo ao ler essa história. Sou de Salvador, moro em Aracaju, mas sei o quanto os taxistas daí são sacanas quando não são sequestradores em potencial.
Ou seja, pegar táxi em Salvador é um tiro no escuro no qual, na maioria das vezes, acerta o próprio pé.

Nah disse...

Kkkk
Muito obrigada!
"Vou de táxi, sim!"
tradução: tô seguindo o seu blog!

Lucas Adonai disse...

Eita cara, que historia hem!
muito loka cara
rachei o bico aqui
vc é turco? ficou pechinchando com o motorista uhsash
abraçs.
www.levelgamed.blogspot.com

carol disse...

nussaa! tudo em uma noite? historias de taxi são classicas, as de buzão mais ainda. haha
bjs
http://oicarolina.wordpress.com/

Pedro disse...

Achei uma idéia bem legal a sua.
Contar histórias, ainda mais dentro de um taxi, é uma forma muito boa de prender a atenção dos leitores.


:)

BrilhosGifs.com disse...

Olá! Parabéns pelo seu Blog!
Já estou lhe seguindo!
Aproveitando também para divulgar os meus Sites...
Siga-me também!
Tem Sorteio de natal por lá!
http://www.martas-bgfs.com (Templates personalizados para Blogs)
http://www.brilhosgifs.com (Gifs para Orkut e enfeites para Blogs)
Abraços,
Marta.

bia santos disse...

Bela narrativa! Eu pude acompanhar cada momento seu. Você tem muito sangue frio para responder rápido e sem pestanejar!

Você deveria ter pego a placa do tàxi para denunciar na prefeitura.

Se um dia eu for a Salvador, acho que vou andar de ônibus!

Parabéns pelo blog!

Iguimarães disse...

Inovadorismo, diso precisamos!

Grande abraço

Thânia Katiuce Cruz disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk' que perigo hein? LOL
Tô seguindo (:

Kiko Lemos disse...

Como já passei por aqui e nos outros posts tbm deixo o desejo de uma boa semana

Emiliana Vaz disse...

Bacana!To te seguindo,cade vc no meu?
To te esperando por lá.
Bj

João Paulo disse...

Eu cobrava com o taximetro ligado!=P

Kiko Lemos disse...

Sem dúvida irei, vou comprar meu ingresso próxima semana quando receber meu pagamento, está por R$ 100 pista e R$ 300 camarote VIP

abraço

Paulo Dionísio disse...

Hahahaha. Muito bom! Gostei do blog, parabéns.

Folhetim Online disse...

HAUhUAhU...
Não só o taximetro te salvou, a verdade te libertou!

Mas no final das contas, o pior foi o taxista mesmo. Cara escroto demais! Aqui em Sampa, sempre que pego táxi, já indico o caminho pro taxista, vejo antes no Google Maps e já vou indicando pra não sofrer problemas futuros.

Abraços e parabéns pelo blog. Divertidíssimo!

Poeta do entardecer disse...

Nossa...muito bom o conto...

PENHA''' disse...

Taximetro salvador e abençoado,
ou nem tanto
ÃSÇLDKFAÇSLFKQWPOEKFASÇDLKFQWE

Barbara Nonato disse...

Nunca havia passado por aqui. Gostei da narrativa e ainda mais da proposta do blog. Quanta originalidade! Muito bom mesmo.

Até a próxima!

Gabriel disse...

Eita emboscada .. parabéns pelo blog

Mauro Castro disse...

Tchê, esses becos existem em todas as cidades, aqui em Porto Alegre não é diferente. Tem uma vila barra-pesada aqui perto da minha casa, que é um ótimo atalho para o shopping Iguatemi. Minha mulher odeia quando passo com ela por lá...mas economiza um puta combustível. Sabe cumé.
Há braços!!
PS: fico feliz em ver amigos que visitam o Taxitramas comentando aqui também. Parece que rolou uma interação entre nossos blogs.

Liza Santana disse...

Cara, isso aconteceu mesmo? kkkk
História de taxista é uma onda! uhaushas

Tô te seguindo...

Felipe Sali disse...

Pow cara vc deve ter passado na minha rua, tudo que vc descreveu tem aqui, inclusive um mendigo chato pedindo dinheiro para todo o mundo.

http://felipesali.blogspot.com/

Pobre esponja disse...

Belo texto, só creio que escorregou no "cheira crack"; essa praga da humanidade, que doentes, doentes crônicos da alma, fumam - tenhamos piedade e cuidade com eles.

abç
Pobre Esponja

Meus momentos, minhas histórias. disse...

Meu Deus. Que situação! Hahahahaha.. O danado do Taxista vai pelo beco e ainda quer ter razão no final. Que coisa! KK To seguindo aqui. Beijos..

Gel disse...

aheuhaueh veeelho, me senti dentro do táxi nessas ruas escrotas do Pelourinho! Pior que isso só o campus de São Lázaro da UFBA depois das 20h!

Depois que passa a gente ri, né? Boa ideia pro blog! Adorei, tô seguindo :)

Bianca . disse...

Rapaz, que sinistro isso. Mas eu morri de rir aqui kkkkkkkkkkkk Imaginando se fosse comigo eu ficaria meia hora só trocando ideia com o nóia. huahsuahuha

Muito bom.

Camila Wicca disse...

Caracaaaa! não! esta foi a melhor!!! só tem maluco nesta cidade!!! este dava um episódio destes seriados da Globo, sério mesmo, tenso e engraçado! adorei Guives!

Anônimo disse...

Huahuaha nossa Gu,cada aventuraaaa!
mas eh engraçado!
hehe

beijao


ALine Fares